Independência de zonas de descanso: o segredo para dormir acompanhado

Nov 17, 2021 | ACONSELHAMOS-TE, CASAL | 0 comments

O romantismo diz-nos, ou determina, em alguns casos, que não há nada mais romântico do que dormir fazendo conchinha com a sua cara-metade. Sobretudo nos inícios, abraçar-se até cair no sono entra no imaginário coletivo como a melhor forma de dormir. No entanto, enamoramentos à parte, a realidade é bem diferente. Necessitamos que a outra pessoa deixe de se mover, de invadir o nosso espaço, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Porque, para dormir acompanhado, é indispensável que o nosso colchão conte com uma independência de zonas de descanso. Um conceito que, se não sabe bem o que significa, lhe explicamos em seguida.

Independência de zonas de descanso: assim é como os colchões nos guiaram na direção de uma relação saudável

Na Maxcolchon abraçamos o amor, e amamos o amor, mas também o descanso, o conforto e, sobretudo, a saúde. Por isso, defendemos um sono reparador, livre de pressões por parte do cônjuge do outro lado. Como se consegue isto? Com a independência das zonas de descanso.

Para fazer com que tanto você como a sua cara-metade possam dormir de maneira cómoda, necessitamos cumprir com uma série de requisitos. Por exemplo, não nos deslocarmos até ao lado da outra pessoa, nem invadir o seu espaço. Outro exemplo? Não se aperceber dos contínuos movimentos do dormente que mais tem tendência a mover-se e dançar pela cama. Em definitivo, dormir acompanhado deve ser sinónimo de equilíbrio na posição e movimentos dos dois membros do casal, independentemente das suas compleições (por questões físicas, a pessoa com maior peso acaba por afundar o colchão e atrair até si o seu cônjuge, com os correspondentes problemas para o descanso que isso provoca).

A independência das zonas de descanso foi inventada para combater os problemas causados pelos movimentos ou a oscilação de peso nos casais. Trata-se de um benefício cuja capacidade ajuda o colchão a evitar que os movimentos dos dormentes se transfiram ao outro extremo do colchão.

Independência de zonas de descanso

Assim é como a independência de zonas de descanso melhora o nosso descanso

O objetivo primordial da independência de zonas de descanso é conseguir um descanso ótimo que, com o passar do tempo, se transforme numa correta higiene de sono. Algo que, quando dormimos acompanhados, apenas se pode conseguir se dispomos do nosso próprio espaço individual, que nos ajude a mover em liberdade, sem invadir o espaço confortável do nosso acompanhante no colchão.

O que consegue a independência das zonas de descanso é responder aos constantes movimentos que os dois dormentes efetuam ao longo da noite. E isto consegue-se graças à absorção das vibrações, através dos espessos acolchoados de alguns modelos de colchão, e à filtração dos movimentos.

Este benefício é alcançado devido a distintas camadas de acolchoado com que impregnamos os colchões que contam com essa independência de zonas de descanso. Uma qualidade que se pode ver potenciada com um colchão que junte estrutura e firmeza, ou com um suporte adequado que reme a favor dela (sommiers ou bases revestidas). E, ainda que possa parecer que não tem relação com a famosa independência de zonas de descanso, a almofada também desempenhará um papel fundamental. É por isso que hoje em dia cada vez se aposta mais pela dupla almofada, ao invés de um único modelo para os dois dormentes.

Como podemos saber se o nosso colchão conta com independência de zonas de descanso?

Enquanto antigamente se limitava tudo a colchões de molas, hoje em dia derivamos para composições revolucionárias e avançadas tecnologicamente. Precisamente, modelos de colchões que, na sua maioria, apostam pela independência de zonas de descanso.

Se vai dormir acompanhado, e descartou já a opção que mais independência oferece (colchões de solteiro unidos por um fecho de correr), o ideal é adquirir um modelo cuja composição seja a viscoelástica, o látex, ou incluso as molas ensacadas.

Analisando-os de forma individual, encontraremos que os colchões de látex oferecem um bom isolante de movimento, graças ao seu material elástico e adaptável. Ainda que sejam uma boa opção, ver-se-ão superados pela viscoelástica, e pela rainha da independência de zonas de descanso: as molas ensacadas.

Enquanto que a viscoelástica é capaz de garantir uma independência quase completa, graças à sua própria composição, os colchões de molas ensacadas representam a melhor aposta.