Tudo o que você precisa saber sobre narcolepsia

Fev 26, 2020 | ACONSELHAMOS-TE, SAÚDE

A narcolepsia é definida como um distúrbio do sono que se caracteriza por sonolência diurna excessiva, acompanhada na maioria dos casos por cataplexia, que são ataques de hipotonia muscular. É uma doença rara, e as pessoas afectadas por esta doença têm frequentemente dificuldade em permanecer acordadas durante longos períodos de tempo, independentemente das circunstâncias. É por isso que é uma doença que pode afectar negativamente a rotina.

Quando as pessoas afetadas pela narcolepsia têm emoções intensas, a cataplexia de que falamos pode ocorrer. Isto é uma súbita perda de tónus muscular. A narcolepsia acompanhada de cataplexia é conhecida como narcolepsia tipo 1. A narcolepsia sem cataplexia é conhecida como narcolepsia tipo 2.

Não há cura para este distúrbio do sono. No entanto, os sintomas podem ser controlados através do uso de medicamentos e mudanças no estilo de vida.

Principais sintomas da narcolepsia

A narcolepsia é caracterizada por sintomas específicos, tais como

Sonolência diurna excessiva

É o principal sintoma que caracteriza a narcolepsia. As pessoas que sofrem com isso adormecem sem aviso prévio, em qualquer lugar e a qualquer momento. Pode acontecer-lhes tanto em situações monótonas (como ver televisão ou ler um livro) como em situações que requerem um certo nível de alerta (comer ou conduzir). Os episódios podem durar de minutos a horas, e ocorrem de forma progressiva ou abrupta, como ataques de sono irresistíveis.

Este sintoma é geralmente o primeiro a aparecer na narcolepsia e é também o mais provável de causar problemas, uma vez que dificulta a concentração e o funcionamento normal.

Perda súbita do tónus muscular

As crises de hipotonia muscular, também conhecidas como cataplexia, podem causar várias alterações físicas, desde problemas de fala até fraqueza absoluta na maioria dos músculos. Podem ocorrer em qualquer músculo do corpo, por vezes de forma imperceptível e discreta, como uma sensação de laxismo, ou podem ocorrer intensamente, sob a forma de quedas no chão. Estes tipos de crises podem durar de segundos a minutos.

A cataplexia não pode ser controlada e geralmente ocorre por causa de emoções intensas, que podem ser positivas, como excitação ou riso, mas também podem por vezes ocorrer com sentimentos de medo, surpresa ou raiva.

Paralisia do sono

A paralisia do sono é definida como a incapacidade temporária de se mover ou de falar ao adormecer ou ao acordar. Estes episódios são geralmente breves (alguns segundos ou minutos de duração), mas são assustadores. Estas paralisias do sono são frequentemente acompanhadas de alucinações hipnagógicas ou hipnopómpicas.

Alucinações hipnagógicas/hipnopompicais

Estas são alucinações que ocorrem frequentemente na transição sono-vigília (adormecer ou acordar). O paciente pode ter percepções irrealistas (auditivas, visuais ou tácteis).

Sono fragmentado

Os pacientes com narcolepsia acordam frequentemente durante a noite. Parassónias como pesadelos, sonambulismo, conversas de sono ou episódios de agitação psicomotora também são mais comuns. Além disso, as fases do sono REM podem aparecer prematuramente.

Causas da Narcolepsia

As causas da narcolepsia, neste momento, são desconhecidas. As pessoas com narcolepsia tipo 1 são conhecidas por terem baixos níveis de hipocretino. A hipocretina é um neuroquímico no cérebro que ajuda a regular o estado de vigília e o sono REM.

Os níveis de hipocretina são particularmente baixos naqueles que já experimentaram a cataplexia. Contudo, a genética pode desempenhar um papel no desenvolvimento da narcolepsia.

Tratamento da Narcolepsia

Esta doença não tem cura. No entanto, os medicamentos prescritos por um médico podem melhorar os sintomas.

Da mesma forma, modificações no estilo de vida, como tirar a sesta e seguir uma rotina, assim como evitar hábitos nocivos como o álcool e o tabaco, podem ser muito úteis na narcolepsia. Não hesite em consultar o seu médico se você acha que tem sintomas!