Transtornos do sono nas crianças: Porque é que o meu filho não dorme durante a noite?

Jun 24, 2021 | ACONSELHAMOS-TE, CRIANÇAS

Tal como sucede quando chegamos à idade adulta (e, sobretudo, durante a velhice), existem uma série de transtornos do sono infantis. Ou seja, problemas relacionados tanto com adormecer pela noite, como com a qualidade do mesmo. Desde as birras que tentam evitar a hora de deitar-se e dormir, até outras situações mais extremas: ter demasiado sono, adormecer em lugares ou situações inapropriadas, ou condutas fora do normal, como o sonambulismo infantil.

O que consideramos transtornos do sono infantis? Basicamente, e tal como aplicamos a qualquer tipo de transtorno psicológico, a todas aquelas situações que afetam ou alteram o estado de normalidade. No caso das crianças, falaríamos de alterações de humor, dificuldade para concentrar-se, o que afetaria o rendimento escolar, cansaço físico, ansiedade e, sobretudo, influência nas relações sociais e familiares. No momento em que o descanso dos nossos pequenos afeta também o núcleo familiar, falamos já de um problema significativo.

Estes são os principais transtornos do sono que afetam os nossos filhos

Ainda que existam muitos tipos de transtornos do sono que podem aparecer durante a infância ou adolescência dos nossos filhos (desde os mais extremos, como a narcolepsia, até aos mais quotidianos, como o excesso de pesadelos), na Maxcolchon quisemos fazer referência aos mais recorrentes:

Insónias

Sim, também existe a insónia infantil. Este transtorno, caraterizado pela dificuldade em dormir, pode ser diagnosticado quando se prologam durante pelo menos um mês seguido. No caso das crianças, podem dividir-se entre a insónia comportamental (dificuldade para adormecer por sentir-se sozinho e aparição de ansiedade face à hora de ir para a cama), à insónia por uma higiene do sono inadequada. Quer dizer, a que está associada com a presença de elementos externos, como o consumo de bebidas energéticas e com cafeína, excessivo uso de computadores, tablets ou smartphones, consumo de chocolate, ou excessiva atividade física.

Síndrome do atraso das fases

Este transtorno costuma fazer a sua aparição a partir dos 10 anos de idade. Falamos de uma alteração do ritmo do sono que se carateriza tanto pela dificuldade para adormecer, como na hora de despertar-se pela manhã, provocando uma excessiva sonolência durante todo o dia.

Pesadelos

Quiçá, o problema mais reconhecido e recorrente de todos, sobretudo em determinadas idades. Em geral, falamos de transtorno quando a aparição destes sonhos complexos e terroríficos se convertem num problema. Ou seja, a sua excessiva presença gera um estado de ansiedade às crianças, podendo despertar-se em lágrimas, ou até tendo molhado a cama. Neste caso, e ainda que os pais não possam evitar que surjam pesadelos, sim podem ajudar a que se acalmem, com pedagogia, e a fazê-los entender que tudo é irreal e que estão a salvo.

Terrores noturnos

Irmãos dos pesadelos, os terrores noturnos também podem catalogar-se como transtornos do sono infantis. A diferença para os pesadelos é a maior sensação de realidade e impacto que têm entre os mais pequenos. Falamos de um tipo de pesadelos demasiado espetaculares, que provocam as piores fantasias dos nossos filhos. O mais grave de tudo é que ao despertar-se não se recordam de nada, mas o estado de alteração é até maior do que com os pesadelos.

Sonambulismo

Este transtorno do sono é muito comum entre os mais pequenos. O sonambulismo, como já sabemos, não é grave e costuma desaparecer conforme as crianças vão crescendo. A sua aparição é espontânea, e origina que não se lembrem de nada ao acordar no dia seguinte, pelo que devemos ter bastante cuidado para evitar que essa condição lhes cause riscos físicos.

Síndrome das pernas inquietas

Este transtorno já o conhecemos pela sua aparição e influência no descanso dos adultos. Caraterizado por provocar um movimento das pernas em situações de repouso, também pode afetar os mais pequenos, fazendo com que sofram na qualidade do seu sono, e posterior mau rendimento no dia seguinte. No caso da síndrome infantil, será sobremaneira importante ajudá-los também devido aos estudos, já que os sintomas podem piorar ao passar tantas horas sentados a uma secretária.

Movimentos rítmicos durante o sono

Este transtorno tem tendência a aparecer após um ano de vida, e costuma desaparecer conforme as crianças vão crescendo. Falamos de movimentos repetitivos que afetam as extremidades, a cabeça ou outras partes do corpo.