Tique no olho: causas e remédios

Abr 12, 2022 | SAÚDE | 0 comments

Ter um tique no olho, também chamado mioquimia, define-se como um espasmo involuntário e repetitivo dos músculos da pálpebra. Esta contração ocorre, regra geral, na pálpebra superior, mas pode acontecer, quer na pálpebra superior, como na pálpebra inferior.

Para a maioria das pessoas, estes tiques são muito leves, e são sentidos como uma espécie de espasmo suave na pálpebra. Outras pessoas podem experimentar um espasmo suficientemente forte para obrigar ambas as pálpebras a fecharem por completo. Mas, quais são as causas pelas quais se dão estes tiques? Qual é o melhor remédio contra eles?

Tique no olho

Ter um tique no olho costuma afetar, regra geral, a pálpebra. Este tipo de contração ou espasmo é muito comum, e acontece à maioria das pessoas em algum momento, tal como afirma a Clínica Mayo

Estes tiques afetam, normalmente, apenas a pálpebra. É algo muito comum, e que ocorre à maioria das pessoas de um momento para o outro. Isto pode afetar tanto a pálpebra superior, como a inferior, mas geralmente apenas acontece na pálpebra de cima, e apenas num olho de cada vez.

Estes tiques podem ser, desde apenas percetíveis, até algo incómodos. Ainda assim, costumam desaparecer em pouco tempo, mas podem reaparecer em poucas horas, dias ou mais. 

As causas do tique no olho

Os tiques no olho podem ter muitas causas subjacentes. O blefaroespasmo essencial benigno é um transtorno de movimento (distonia) dos músculos que rodeiam o olho. Não se sabe exatamente quais as suas causas, mas os investigadores acreditam que pode ser causado por um mau funcionamento de certas células do sistema nervoso, chamadas gânglios basais, tal como afirma a Clínica Mayo.

Em muito raras ocasiões, os espasmos oculares podem ser um sinal de certos transtornos cerebrais e do sistema nervoso. Quando é assim, estão sempre acompanhados por outros sintomas e sinais. 

Os espasmos oculares podem ser um efeito secundário dos medicamentos, em particular dos medicamentos que se usam para tratar a doença de Parkinson. Os espasmos oculares são, por vezes, o sinal mais precoce de um transtorno crónico do movimento, especialmente caso se desenvolvam outros espasmos faciais. 

Em qualquer caso, parece que a falta de sono poderia ser um dos grandes fatores que acabam por provocar estes tiques. Se dorme pouco no seu dia a dia, avaliar o seu descanso poderia ajudá-lo em grande medida a evitar esses tiques, ainda que o melhor seja consultar-se com o seu médico, obviamente.

Remédios para combater o tique no olho

Se o tique no olho lhe surge com frequência, o melhor será consultar com um especialista, como lhe comentamos anteriormente. Pode manter um diário, e anotar exatamente quando lhe sucedem estes episódios.

Além disso, tenha em conta que o seu consumo de álcool, tabaco e cafeína, assim como o seu nível de stress, e a quantidade de sono que manteve nos dias prévios e durante os tiques de olho, têm muito a ver com o aparecimento destes episódios.

Se nota que tem mais tiques no olho quando não dorme o suficiente, já sabe qual é o problema: poderia tentar deitar-se entre 30 minutos e uma hora antes, para ajudar a aliviar a tensão nas pálpebras, e assim reduzir os tiques. 

Um bom descanso é fundamental para manter a nossa saúde, e não descansar bem pode, desde logo, afetar o nosso dia a dia, e a nossa saúde em geral. Em qualquer caso, o melhor é consultar-se com um especialista, caso isto lhe aconteça frequentemente. E, claro: não se esqueça de dormir bem pelas noites!