Que vida útil tem o meu colchão?

Set 26, 2021 | INFORMAMOS-TE | 0 comments

Cada vez que compramos um novo modelo, fazemos a mesma pergunta: ¿que vida útil tem o meu colchão? Uma questão que devemos fazer aos especialistas. Porque segundo as convicções do sector do descanso, as prestações e benefícios que definem qualquer tipo de colchão vão diminuindo progressivamente, até cumprir os 10 anos. Exatamente o momento em que deveríamos mudar de colchão.

O seu colchão enviou-lhe estes sinais? É hora de o substituir por um novo modelo

Começamos forte. Tal como acabamos de lhe dizer, segundo explicam os especialistas no mundo do descanso, a vida útil de um colchão é de aproximadamente uma década. Dez anos, onde vai cumprir o seu papel para com os dormentes, os acolherá, lhes dará transpirabilidade, firmeza e adaptabilidade. Mas, após dez anos de uso diário, ele mesmo dirá “chega”. E não poderemos ser preguiçosos na hora de o substituir.

Em geral, os colchões podem sofrer desgastes provocados por esse mesmo uso diário, podem ver-se deteriorados, ou incluso ver reduzidas as suas prestações, devido ao aparecimento de ácaros, bactérias, ou a acumulação de pó e sujidade.

Esta última situação, a falta de higiene, é um dos motivos principais pelo qual os colchões têm uma duração média de dez anos. Além dos elementos nocivos anteriormente enumerados, há que adicionar o derramamento constante de líquidos. Pense que, durante esta década de uso, a cama converte-se num recipiente de mucosidades noturnas, ou do suor que deixamos ao dormir.

Outro principal motivo pelo qual os colchões têm uma espécie de data de caducidade é pela própria deterioração que sofrem. Obviamente, ao longo da passagem do tempo, e com o uso diário (ou incluso mau uso) que lhe damos, estes podem deformar-se e afundar. Dependendo da qualidade do mesmo, e das suas prestações, este afundamento pode produzir-se antes.

Se o colchão se deforma e vai perdendo prestações como a firmeza, o que pode ocorrer é que nos cause problemas físicos. Chegados a este ponto, há que encarar este sinal de alarme como o fim do seu colchão. Não existe explicação, nem há necessidade, para que aceitemos dormir mal. Vai provocar-nos mau rendimento, pior estado de ânimo, e danos físicos, como dores musculares, dores nas articulações, contraturas, stress, e até ansiedade.

Para evitar estes problemas físicos e psicológicos, causados pelo simples fato de que o seu colchão perdeu as suas prestações e benefícios, a solução é muito clara e evidente.

Capas protetoras, as encarregadas de aumentar a vida útil do seu colchão

Após aprender que nenhum colchão deve ser usado mais do que 10 anos, já que os seus materiais vão perdendo a qualidade inicial, e rendimento nas suas prestações, é hora de conhecer um novo elemento, que ajudará a proteger o seu colchão. Um produto que cuidará dele e, sobretudo, da sua higiene.

Elaborados com tecidos espessos, que combatem o aparecimento de ácaros e de outros elementos nocivos, os protetores e coberturas de colchões protegem a cama e o nosso próprio corpo. Graças a eles, o pó e a sujidade não tocarão nunca o nosso colchão, evitando a proliferação de alergias, e de outros problemas que podem dificultar o nosso descanso.

No que diz respeito às suas prestações, tem que entender que nem todos os modelos são impermeáveis. Se necessita proteger o seu colchão de líquidos e fluidos, esta variedade será a que melhor se adapta às suas necessidades. E, como está claro, aumentará a vida útil do seu colchão.