Prós e contras de dormir com aquecimento no inverno

Jan 14, 2021 | INFORMAMOS-TE

Sabemos que a temperatura ideal para adormecer depende da nossa idade. No caso de adultos, é entre 15 e 22 graus Celsius. Em pessoas mais velhas, será um pouco mais alto e variará entre 19 e 21 graus Celsius. Por último, os bebés e crianças pequenas ficam na faixa de 18 e 21 graus. Mas o que acontece no inverno? Sentimo-nos reconfortados pelos mesmos dígitos? Somos influenciados pelo frio da rua que não nos sai do corpo a não ser que optemos pela opção de dormir com o aquecimento? Este último é positivo para nossa saúde?

Porque não devemos dormir com o aquecimento no inverno?

Dependendo da zona do país em que vive e dos graus ambientais com que tem de lidar na rua, é mais do que provável que passe o Inverno a deixar-se tentar pelo aquecimento central no momento de dormir. Como se fosse a maçã que Eva mordeu no paraíso, uma espécie de tentação na qual passa a noite toda com o termostato no máximo. Algo que, segundo algumas pesquisas, pode não ser bom para nossa saúde.

A típica brincadeira de deixar o aquecimento ligado enquanto dormimos debaixo de cobertores, edredons e cobertores pode acabar a transformar-se numa noite de inquietação, pesadelos e, acima de tudo, um aumento desnecessário da temperatura corporal. Um superaquecimento que não nos permitirá dormir profundamente, o que não só leva a um pior desempenho no dia seguinte, mas também acordaremos com a pele seca e avermelhada, além de uma ansiedade desconhecida para o nosso humor habitual.

A comunidade científica recomenda que, para adormecermos mais rapidamente e, sobretudo, com maior profundidade, o ideal é que a temperatura ambiente do nosso quarto seja um pouco mais fria do que o imaginário coletivo acredita. Enquanto pensamos que, como na rua há 5º, para compensar o melhor é colocar o nosso quarto a 30º, a temperatura ideal para o nosso cérebro seria a dos já mencionados 22 graus centígrados. Assim, o nosso cérebro permaneceria com uma temperatura mais baixa do que o resto do nosso corpo, o que ajudaria em nosso ritmo circadiano.

De acordo com uma investigação científica conduzida na University of South Australia, as pessoas que sofrem de insónia tendem a ter uma temperatura corporal mais alta quando se deitam, algo que causa uma piora no sono.

Por fim, e de acordo com especialistas do setor do repouso e saúde, dormir com aquecimento pode criar certa secura no quarto. Um ambiente que, além de desagradável, pode favorecer a proliferação de bactérias e, conforme indicado, aumentaria o risco de doenças como gripe ou conjuntivite.

Mas então … não há vantagens em dormir com o aquecimento ligado toda noite?

Depois de ver a seção anterior, você poderá verificar que não há muitas vantagens em dormir com o aquecimento ligado (exceto pelo simples fato de não sentir frio no inverno). Porém, como sabemos que não podemos decidir por si, caso prefira optar por esta opção, deverá aceitar algumas recomendações para que os seus efeitos colaterais prejudiquem menos a sua saúde e bem-estar.

Para começar, é altamente recomendável que se verifique regularmente o seu aquecimento central através de pessoal especializado. Graças a essas análises, você poderá evitar qualquer tipo de mau funcionamento no seu aparelho e, com isso, reduzir os inconvenientes de dormir com o termostato no teto.

Por outro lado, e como já referimos em ocasiões anteriores, se decidir deixar o aquecimento ligado durante toda a noite, tente regular a temperatura entre os 18 e os 22 graus recomendados para uma boa noite de descanso.