Por que sofre alucinações hipnagógicas antes de dormir

Set 17, 2021 | ACONSELHAMOS-TE, SAÚDE | 0 comments

Sucedem pouco antes de se iniciar o sono. Ainda que nesse momento não saiba do que se trata, sofre de alucinações hipnagógicas antes de dormir. Traduzido para uma linguagem mais coloquial, experimenta uma quantidade de perceções sensoriais que não são consequência de estímulos reais. Simplificando ainda mais, percebemos uma série de ruídos, odores, ou incluso vemos objetos que não estão aí. Porém, devido a uma sucessão de mecanismos que lhe explicaremos em seguida, o nosso cérebro é capaz de os recolher.

O que são as alucinações hipnagógicas?

Cada noite das nossas vidas nos sucede o mesmo. Deitamo-nos e, durante uns minutos, experimentamos a transição entre vigília e sono. Os olhos vão-se fechando e, sem sabê-lo, a nossa atividade cerebral começa o processo onírico. Porém, existe um ponto muito concreto que nos situa a meio do caminho. Não estamos a dormir…, mas também não estamos despertos. Como se fosse um limbo. E é justamente aí quando podemos sofrer as chamadas alucinações hipnagógicas.

Podem ter forma de odores, sons, sabores, sensações, perceções, ou incluso objetos que acreditamos ver dentro do quarto. Mas como num filme de terror ou de ficção científica, não existem. São fruto da nossa imaginação. Uma alucinação, provocada pelo estado entre vigília e sono em que nos encontramos.

As alucinações hipnagógicas são aquelas que se produzem num estado intermédio entre a vigília e o sono, justamente ao contrário das denominadas alucinações hipnopômpicas. Produzem-se porque quando estamos a adormecer, chegamos a um ponto muito confuso, onde podemos perceber imagens, sons, odores, ou até sensações que não existem. Movimentos, objetos, ou situações que nós vinculamos com a realidade, mas que são fruto da transição que está a experimentar o nosso cérebro.

Já temos dito que estas pseudo-alucinações, categorizadas como hipnagógicas, podem ser auditivas, visuais, ou tácteis, e que sempre ocorrem na passagem entre vigília e sono. As pessoas que as sofrem podem chegar a experimentar situações nas quais escutam vozes, veem pessoas ou objetos que não se encontram no quarto, ou incluso podem sentir como se alguém as estivesse a tocar. Definitivamente, experiências que podem ser confundidas com o paranormal e o terror. Aí é onde reside a sua gravidade: quando as pessoas que sofrem este tipo de alucinações, não são capazes de determinar que o que experienciaram não é real.

Essa confusão, causada pela junção produzida entre a distorção da realidade, e a alucinação que percebemos, origina um sentimento tão grande de terror, que pode derivar em ansiedade. Ou, o que é pior, provocar que possa sofrer lesões e acidentes.

Nem as alucinações hipnagógicas, nem as hipnopômpicas, são consideradas patológicas. Apesar das situações extremas que temos relatado (a extrema confusão entre realidade e paranormal), carecem de qualquer tipo de gravidade, e não originam efeitos secundários.

Quais são os sintomas das alucinações hipnagógicas?

Poderíamos definir em que consistem os sintomas deste tipo de alucinações com uma simples frase: a imaginação através dos sentidos de objetos ou eventos de carácter realista, justamente no momento em que estamos a adormecer. Mas, ¿quais são os sentidos que mais podem cair em experimentar este curioso fenómeno?

Ainda que costume suceder sobretudo através da vista, as alucinações hipnagógicas podem derivar em que o nosso paladar, o nosso olfato, o nosso ouvido, ou incluso o sentido do tacto, percebam a sua correspondente alucinação.

Pondo em evidência as alucinações auditivas, podemos estabelecer uma série de padrões comuns, em forma de sons: apitos, ruídos agudos, explosões, ruídos confusos e pouco claros, e incluso ruídos aleatórios. Obviamente, os casos que mais terror podem causar são aqueles relacionados com a voz humana.

Causas mais comuns das alucinações hipnagógicas

Entre as causas mais comuns que podem chegar a originar as alucinações hipnagógicas, encontramos as seguintes:

Falta de sono: Insónia, má higiene de sono, ou dispor de um horário irregular, no qual há muita oscilação entre as horas a que nos despertamos, e as horas a que adormecemos, podem provocar este tipo de alucinações.

Consumo de drogas. Incluindo o álcool, os casos mais extremos podem ter relação com a ingestão de substâncias psicotrópicas.

Ansiedade e stress: É, quiçá, o motivo principal das alucinações hipnagógicas. É bem conhecido que o stress é um dos transtornos que mais nos afetam nos dias de hoje. Transferido para o sono, tanto o stress, como a ansiedade, supõem uma alteração de sono que pode desembocar em alucinações.

Questões hereditárias. Ainda que não costume ser habitual, podem existir causas hereditárias no aparecimento das alucinações.