O que é a sesta japonesa inemuri?

Set 10, 2021 | INFORMAMOS-TE | 0 comments

Um dos costumes mais singulares que nos caracteriza é o de fazer a sesta depois de comer. Ainda que não disponhamos de demasiado tempo para dormir profundamente, são muitos os que se deixam cair ou dão um cochilo, aproveitando o pouco de descanso entre o horário da manhã, e o da tarde.

Assim como noutros países os trabalhadores dispõem de um mínimo para comer, ou fazer um intervalo e lanchar, na maioria dos casos, as jornadas laborais que temos no nosso país são partidas. Daí que os nossos horários diferem do resto, porque levamos outro ritmo de vida: acabamos mais tarde de trabalhar, e atrasamos a hora do jantar, para acabar deitando-nos quando a maioria já se foi a dormir.

O modo como descansamos tem muito a ver com a cultura e as características próprias de cada lugar. Assim, existe outro tipo de sestas, como por exemplo a que se pratica no Japão, conhecida como a sesta inemuri. Avisamos já que não tem nada a ver com a nossa. Quer conhecer as suas particularidades?

 O que é a sesta japonesa inemuri?

Inemuri significa adormecer enquanto se está presente. Ainda que pareça uma falta de respeito, ou um descuido por parte dos trabalhadores, significa exatamente o contrário. Os japoneses têm uma forma muito particular de viver. De fato, é um dos países em que menos horas se dorme, e mais tempo se trabalha ao dia.

Na cultura japonesa, a importância que se dá ao trabalho resulta desmedida, em algumas ocasiões. As jornadas laborais são muito longas, e é habitual que continuem a trabalhar em feriados, ou aos fins de semana. São capazes de subtrair horas de sono, em benefício de seguir com as suas tarefas, e isso em algumas ocasiões carrega problemas graves. No Japão, chega a ser tão preocupante, que se dão casos de mortes por excesso de trabalho (karoshi).

Por esse motivo, deparar-se com alguém dormido enquanto está numa reunião, ou no próprio posto de trabalho, não está malvisto, mas sim exatamente o contrário. Significa que é uma pessoa muito responsável, já que se isso lhe ocorreu, é a consequência do esforço que realiza diariamente para progredir na sua carreira profissional, de forma extraordinária. Assim, ainda que nos pareça surpreendente, é uma prática muito enraizada na cultura japonesa.

Mais do que dormir profundamente, trata-se de uma desconexão, que lhes permite retornar de imediato e sem nenhum esforço ao que estavam a fazer anteriormente. Essa facilidade possibilita fazer esses “parênteses”, no momento em que necessitem de os fazer.

Não obstante, existem certas regras para que seja algo compreensível, e não seja um “vacilo enorme” por parte do trabalhador. Entre elas, a principal é que estas situações são admissíveis, sempre e quando o façam estando sentados no seu lugar de trabalho. Não podem deitar-se ou ausentar-se do lugar que ocupam, porque nesse caso seria uma falta de respeito em relação à empresa.

Como consequência deste costume tão particular, nas cidades mais populosas do Japão é habitual encontrarmos os chamados hotéis cápsulas. Tratam-se de estabelecimentos que dispõem de quartos de tamanho reduzido, com as medidas de uma cama.

Podem alugar-se pelo tempo que se necessite, e também dispõem dos serviços de qualquer hotel: restaurantes, zonas comuns, e até piscina. Assim, em muitas ocasiões, utilizam-se para descansar, quando o esgotamento os impede de chegar a suas casas.

Já sabe, se visitar o Japão, não se surpreenda por ver as pessoas com os olhos fechados, enquanto estão viajando em qualquer transporte público, ou sentados nos bancos dos parques. Agora, aconselhamos a que não pratique inemuri no seu escritório, pelo que lhe possa passar, se o descobre o seu chefe.

Por isso, o melhor é descansar pela noite, em equipamentos de descanso adequados às suas necessidades. Dormir as horas necessárias pela noite é uma garantia para recarregar as baterias, e poder chegar ao final da jornada laboral sem adormecermos como os japoneses.