O que é a plagiocefalia?

Dez 16, 2021 | DESCANSO, PROBLEMAS FÍSICOS, SAÚDE | 0 comments

A plagiocefalia posicional é uma doença em que áreas específicas da cabeça de um bebé desenvolvem uma forma e aparência achatadas.

Trata-se da causa mais frequente de assistência a uma consulta de neurocirurgia pediátrica, quer em Espanha, como nos restantes países ocidentais, tal como asseguram profissionais da Unidade de Cirurgia Craniofacial do Hospital Infantil 12 de Outubro, em Madrid.

Tanto é assim que, segundo apontavam estes especialistas em 2007, neste hospital tiveram que habilitar uma consulta especial para esta patologia em concreto. Na consulta, que funciona desde o ano de 1998, atendem-se mais de 1000 crianças por ano.

O que é a plagiocefalia?

A plagiocefalia posicional é conhecida também por outros nomes, como plagiocefalia postural, plagiocefalia occipital, plagiocefalia deformadora, plagiocefalia posterior…

Em qualquer caso, a plagiocefalia é uma doença na qual áreas específicas da cabeça de um bebé desenvolvem uma forma e aparência anormalmente achatadas. A plagiocefalia occipital provoca um achatamento de um lado da parte posterior da cabeça e, por vezes, é o resultado de que o bebé se deite de barriga para cima constantemente.

Esta área plana pode desenvolver-se muito rapidamente, durante vários meses. Fisicamente, o bebé pode ter uma orelha deslocada para a frente, mas, em casos mais graves, podem surgir outras malformações no crânio do bebé. Entre elas, o bebé pode ter uma protuberância na testa, ou na bochecha.

Existem outros tipos de plagiocefalia, alguns dos quais são causados por uma doença grave chamada craniossinostose. Aqui, a deformidade é causada pelo fechamento prematuro das articulações fibrosas entre os ossos do crânio do bebé (chamadas suturas cranianas). Em qualquer caso, para confirmar ou descartar o diagnóstico, é necessário um exame completo.

O que é a plagiocefalia

Causas da plagiocefalia

A plagiocefalia posicional é “de carácter externo”, segundo indicam os profissionais de saúde. Ao que parece, este tipo de malformação é consequência das forças mecânicas externas que atuam sobre a sutura lambdoide ou a região posterior do crânio, quer seja durante a vida do feto no útero, ou depois.

São muitos os fatores que podem atuar sobre a cabeça do feto, produzindo uma moldagem cranial: uma posição escolhida pelo lactante, um apoio sobre um lado occipital da cabeça (ou sobre os dois), durante o sono, ou em períodos de vigília, o uso de carrinhos de bebé, onde a criança apoia a cabeça sempre da mesma forma, a presença de torcicolos, devido a causas diversas…

Como evitar a plagiocefalia?

Em 1992, a Academia Americana de Pediatria fez a recomendação de que os bebés deveriam dormir de barriga para cima, para reduzir o risco de sofrer da síndrome de morte súbita do lactante, e lançou a campanha “Back to Sleep”, ou seja, “dormir de costas”.

Devido à consciencialização sobre a síndrome de morte súbita através da campanha, a quantidade de casos de síndrome de morte súbita diminuiu. No entanto, por outro lado, produziu-se um aumento dramático na quantidade de bebés que sofrem de plagiocefalia posicional.

O risco de sofrer com plagiocefalia posicional pode ser reduzido, mediante algumas medidas simples:

  • Proporcionar ao bebé muito tempo de brincadeira de barriga para baixo, sempre supervisionada. Isto pode ser uma grande ajuda, para fortalecer e desenvolver os músculos do pescoço, dos braços e dos ombros.
  • Mudar o sentido em que o bebé está deitado no berço com regularidade, para se assegurar de que nem sempre esteja a descansar sob a mesma parte da cabeça. Por exemplo, fazer com que os pés do bebé apontem na direção de um extremo do berço durante uns dias, e depois alterar a posição, para que os seus pés apontem no sentido do outro extremo do berço.
  • Podemos, com frequência, ter “tempo para estar ao colo” durante o dia, segurando o bebé erguido sobre um ombro.
  • Evitar passar demasiado tempo em cadeiras, carrinhos de bebé ou redes, enquanto o bebé estiver acordado.
  • Mudar a localização do berço do bebé dentro do quarto, para que tenha que olhar em diferentes direções, para ver a janela ou a porta.
  • Ao segurar, alimentar ou transportar um bebé, assegure-se de que não se exerce uma pressão indevida no lado plano da cabeça. Mudar a posição da cabeça do bebé de lado a lado durante a amamentação.

Como vê, há alguns métodos que podem servir de ajuda para tentar evitar a plagiocefalia. Em qualquer caso, nós apenas sabemos tudo sobre colchões e descanso: se tem qualquer dúvida, ou se acredita que o seu pequeno poderia ter algum sintoma deste problema, não hesite em consultar com o seu pediatra. A saúde é o mais importante!