Excesso de trabalho e descanso: Como conseguir um equilíbrio

Jun 23, 2021 | INFORMAMOS-TE

Se tivéssemos que definir em poucas linhas como são as pessoas hoje em dia, poderíamos dizer o seguinte: urbanos, com excesso de trabalho, pouca tendência para o descanso, em constante movimento, viciados em stress, em tecnologia e com as notificações sempre ativas. ¿E em que resulta tudo isto? Num grupo numeroso de gente com problemas de ansiedade, que não sabem conciliar o laboral com o familiar, com problemas de saúde por falta de sono, e demasiado apegadas às redes sociais.

Assim é a vida do cidadão normal

É chamado de síndrome de Burnout, apesar de o conhecermos também como a síndrome do esgotamento Profissional. Ou seja, aquelas pessoas que padecem de uma situação crónica de stress laboral, que se manifesta com um cansaço físico e psicológico, afetando assim a saúde, a energia, o estado de ânimo e a autoestima pessoal.

Com a normalização das novas tecnologias, Internet, e das diferentes aplicações ou redes sociais, o trabalho pode ter-se visto beneficiado. Analisando pela positiva, hoje em dia podemos trabalhar desde qualquer lugar no mundo, podemos poupar no tempo e evitar situações como os engarrafamentos matutinos, pouparmos em combustíveis, e contaminarmos menos pela diminuição de emissões CO2. Definitivamente, poder realizar as nossas atividades laborais desde casa deveria permitir mais tempo livre, conciliar melhor a vida familiar e as relações sociais e, porque não, permitir um melhor descanso. No entanto, esta não é a realidade.

Ainda que em países como a França se tenha tentado regularizar este fato, ao dia de hoje as pessoas estão mais expostas à vontade das suas empresas. Essa mesma tecnologia que tanto aplaudimos no parágrafo anterior, é também a culpada de que recebamos (e vejamos) correios eletrónicos laborais antes de deitar-nos (ou inclusive já na cama), trabalhemos aos domingos por decisão própria e, em definitivo, não sejamos capazes de desconectar mentalmente das obrigações laborais. Obviamente, esta situação que se estende por entre toda a sociedade ocidental moderna tem provocado um deterioramento grave do descanso mental e físico, tornando-nos mais propensos a adoecer.

As consequências de não desconectar do trabalho e sua relação com o sono

Pondo em destaque a necessidade do descanso físico e o pouco que nos permite esse mesmo descanso o ritmo de vida atual, encontramos um padrão óbvio entre a maioria da sociedade. A facilidade que temos em não desconectar do trabalho e a obrigação autoimposta de verificar e-mails, projetos, e atender chamadas fora do horário laboral, levou-nos a dormir não apenas menos horas, mas também de pior qualidade.

Comentamos em incontáveis ocasiões a influência de uma boa higiene de sono para a nossa saúde. Se não descansamos o suficiente todas as noites, no dia seguinte não só vamos a ter pior rendimento, como também ao longo do tempo o nosso corpo acabará por se ressentir.

Esse stress e essa ansiedade provocadas pelo excesso de trabalho, irão traduzir-se a nível físico numa maior produção de cortisol. A hormona que controla o stress ativa-se ante estas situações quotidianas e presentes ao longo do tempo, afetando assim as zonas cerebrais que têm relação com a aprendizagem, a memória ou a concentração. A nível físico, o excesso de trabalho também pode levar a graves consequências, como doenças cardiovasculares, diabetes ou deterioramento de certas articulações.

Como evitar que o trabalho interfira na qualidade do nosso descanso

Dormir não só é uma necessidade fisiológica que reinicia o nosso sistema imunológico, nos recarrega as pilhas e refresca o nosso cérebro. Dormir é também um prazer. Um dos poucos que não custa dinheiro e é acessível a todas as pessoas. ¿Porquê negarmo-nos a esse prazer em favor do excesso de trabalho?

Com a pandemia e as suas consequências ainda na ordem do dia, a desconexão mental deveria ser ainda mais obrigatória. As pessoas têm direito a desconectar, a fixar uns horários laborais com um limite claro, e a não responder a chamadas fora de horas, ou a e-mails de trabalho desde a própria cama.

O ideal é simplesmente o contrário. Dispor de um trabalho em que se respeita o tempo livre, e onde se pode ajustar o nosso descanso para poder desconectar corpo e mente. Para isso, nada melhor do que realizar atividades físicas depois do trabalho, manter uma vida social ativa e, quando chega a noite, alcançar essa ansiada higiene do sono, com a ajuda de um conjunto de descanso que conte com o melhor colchão do mercado. E, claro, libertar-nos de todos os dispositivos eletrónicos quando chegamos a casa.