Estudo do sono: Tudo o que precisa de saber

Nov 9, 2021 | INFORMAMOS-TE | 0 comments

O estudo do sono, também denominado polissonografia, é um exame que se realiza para detetar atividades irregulares enquanto dormimos. Esta técnica é muito eficaz para determinar possíveis transtornos, que podem chegar a ser prejudiciais para a saúde de quem os sofre.

Onde são realizados este tipo de exames?

Podem ser realizados nas unidades de transtornos do sono de um hospital, ou num centro especializado em problemas deste tipo. Em alguns casos, se o profissional médico considerar oportuno, também se pode fazer no próprio domicílio do paciente.

Nestes casos, os dispositivos irão incluir um número menos elevado de sensores. As medições que são realizadas limitam-se a medir a frequência cardíaca, o nível de oxigénio no sangue, o fluxo do ar, e os padrões respiratórios durante o sono.

Por esse motivo, o exame realizado de forma externa é muito mais completo. Além do mais, ajuda a detetar outros problemas do sono mais complexos de determinar, como por exemplo, a narcolepsia, ou os movimentos descontrolados de braços e pernas enquanto se está a dormir.

Em que consiste?

Trata-se de um exame diagnóstico, não terapêutico, e cujos riscos costumam ser mínimos. Nas pessoas que têm a pele sensível, podem aparecer pequenas irritações, que melhoram e desaparecem ao fim de poucos dias.

O paciente costuma ser admitido na noite em que vai efetuar o exame, para que possa dormir, enquanto se realizam as medições pertinentes. São colocados diversos elétrodos no corpo do paciente, para monitorizar a atividade cerebral, a frequência cardíaca e respiratória, o nível de oxigénio no sangue, e os movimentos dos olhos e das extremidades, durante o sono.

As zonas do corpo nas quais se colocam os elétrodos são o queixo, o couro cabeludo, as pálpebras e o peito. Todos os dados vão sendo registados durante a noite, enquanto o paciente dorme, supervisionado por um especialista, que irá anotar qualquer alteração que se produza.

Estudo do sono: Tudo o que precisa de saber

O exame dura toda a noite, e termina na manhã seguinte. Não é necessário tomar previamente nenhum tipo de medicamento, nem fazer nenhuma preparação especial, mas é importante comunicar ao profissional de saúde todos os medicamentos que se tomem habitualmente. Por vezes, é necessário suspender temporariamente a toma de algum desses medicamentos, para que não interfira com os resultados do estudo.

Os parâmetros que este tipo de exame oferece são muito completos, o que permite realizar uma análise posterior bastante exaustiva. Entre eles, o tempo que demora para adormecer, o tempo que passa para entrar na fase de sono com movimentos oculares rápidos, e os comportamentos fora do comum que se vão produzindo.

Para que é que se realiza?

Uma das causas mais comuns, pela qual se costuma aconselhar este tipo de exames, é para detetar a apneia do sono. É uma doença que leva a pessoa a deixar de respirar várias vezes, enquanto está a dormir.

Existem dois tipos de apneias do sono: a obstrutiva, e a apneia central do sono. Na maioria dos casos, a mais comum é a apneia obstrutiva do sono. Produz-se quando os músculos da garganta se relaxam, o que leva a um estreitamento das vias respiratórias, dificultando a circulação do ar de uma forma correta.

A apneia central do sono tem por hábito ser menos frequente. Nestes casos, o cérebro deixa de enviar aos músculos os sinais necessários para controlar a respiração. Normalmente, costuma estar relacionada com o fato de sofrer de outras enfermidades, como a obesidade, ou o consumo excessivo de narcóticos.

Sintomas comuns que podem levar à necessidade de um estudo do sono

Os pacientes que são encaminhados para este tipo de exames têm por hábito sofrer de roncos fortes, episódios de perda de fôlego, acompanhados de despertares súbitos e repentinos, e de uma insónia crónica, sem nenhuma razão aparente.

Outros sintomas menos habituais são: sonolência diurna, dor de cabeça ao acordar, e irritação na garganta. Alguns fatores têm influência na predisposição a sofrer deste tipo de condições, como podem ser o fato de pertencer ao género masculino, e sofrer de obesidade. Ainda que cada tipo de problema tenha o seu tratamento específico, geralmente os CPAP nasais são bastante eficazes, na maioria dos casos.

Se habitualmente experimenta algum destes sintomas, é recomendável consultar um profissional médico. O estudo do sono é uma forma simples de detetar qualquer tipo de anomalia, para poder melhorar a qualidade do seu descanso.