Espasmo mioclónico do sono: por que se produzem?

Mai 30, 2022 | CURIOSIDADES, SAÚDE | 0 comments

O espasmo mioclónico do sono é uma contração muscular involuntária e não rítmica que ocorre quando uma pessoa está a adormecer ou quando está a dormir.

Parece que estes espasmos não são uma doença em si, mas sim um sintoma de várias possíveis condições diferentes. Além do mais, a mioclonia do sono também pode acontecer sem uma causa conhecida. Explicamos-lhe mais sobre estes espasmos e sobre as suas possíveis causas. 

O que é o espasmo mioclónico?

O termo mioclonia refere-se a espasmos involuntários que envolvem um músculo ou grupo de músculos. Os soluços, por exemplo, são um tipo de mioclonia que afeta os músculos do diafragma. 

Os sintomas do espasmo mioclónico do sono costumam acontecer quando a pessoa está a adormecer ou durante o sono. Causa espasmos ou contrações musculares involuntárias e imprevisíveis, e que podem afetar a um só músculo ou a vários grupos de músculos. Estes movimentos poderiam incluir:

  • Espasmos musculares generalizados ou localizados.
  • Contrações musculares similares a pequenos choques, e que duram um breve período.
  • Espasmos repentinos dos braços, do torso ou das pernas.
  • Espasmos musculares que se produzem como resposta a estímulos externos.

Além do mais, os sintomas costumam ser:

    • Involuntários.
    • Breves.
    • Repentinos.
    • Localizados numa parte do corpo, ou em todo o corpo.
    • Variáveis na sua intensidade e frequência.

Os espasmos mioclónicos do sono produzem-se durante as primeiras etapas do sono, especialmente no momento de adormecer. Estes espasmos podem acontecer devido a estímulos externos, como o movimento, o ruído ou a luz. 

As formas simples de mioclonia, como os soluços ou os sobressaltos, podem acontecer em pessoas saudáveis, e sem que se produzam complicações graves. Porém, as mioclonias generalizadas ou frequentes podem indicar um transtorno neurológico subjacente. 

As pessoas com mioclonia do sono podem ter dificuldades para adormecer, ou experimentar uma má qualidade de sono, o que pode provocar fadiga excessiva durante o dia. 

Por que se produz o espasmo mioclónico?

O espasmo mioclónico pode ser causado por uma ampla variedade de problemas subjacentes. Muitas vezes, os médicos classificam a mioclonia segundo as suas causas, o que ajuda a determinar o tratamento. Os tipos de mioclonia podem ser divididos em várias categorias, segundo explica a Clínica Mayo

Espasmo mioclónico essencial

A mioclonia essencial pode acontecer por si só. Pode aparecer sem outros sintomas e sem estar relacionada com nenhuma enfermidade subjacente. A causa costuma ser inexplicável ou, em alguns casos, hereditária. 

Mioclonia sintomática (secundária)

O espasmo mioclónico sintomático costuma acontecer como resultado da existência de uma condição médica subjacente, como pode ser uma infeção, uma lesão na cabeça ou na medula espinal, insuficiência hepática ou renal, envenenamento químico ou por drogas, reação a alguma medicação…

Espasmo mioclónico fisiológico

Este tipo de espasmo mioclónico costuma acontecer em pessoas saudáveis e não costuma necessitar de tratamento. Exemplos deste tipo de espasmo incluem:

  • Os soluços.
  • Espasmos musculares infantis durante o sono ou depois de uma refeição.
  • Contrações ou espasmos devido ao exercício ou à ansiedade.

 Além do mais, o espasmo mioclónico do sono também poderia implicar problemas com um neurotransmissor, a dopamina. Assim o explica uma investigação publicada na revista European Archives of Psychiatry and Clinical Neuroscience. Esta publicação diferencia os espasmos mioclónicos das convulsões, que implicam alterações elétricas no cérebro. 

Como se trata o espasmo mioclónico do sono?

A mioclonia do sono não se considera grave nem necessita de tratamento, a não ser que interfira com o sono ou com a qualidade de vida de uma pessoa. Na maioria dos casos, o tratamento não é necessário, caso o sono seja relativamente normal. 

Os espasmos mioclónicos são conhecidos como uma condição “benigna”, o que significa que não têm efeitos a curto ou a longo prazo sobre a saúde da pessoa afetada. 

Em qualquer caso, esta avaliação apenas pode ser feita por um médico especialista. Se acredita que pode estar a sofrer de espasmo mioclónico do sono, não hesite em consultar-se com o seu médico o mais rápido possível, para saber o que poderá fazer a esse respeito!