A relação entre o outono e os casos de insónias

Nov 1, 2021 | INFORMAMOS-TE | 0 comments

Chega o outono e, com ele, as mudanças de temperatura e nos horários… com uma mudança da hora incluída, que pode chegar a desequilibrar os nossos ritmos diários, e de descanso. Tanto é assim que um grande número de pessoas se veem afetadas por mudanças concretas no seu ciclo do sono, experimentando até insónias. Mas, qual é a relação entre o outono, e os casos de insónias?

Ao que parece, poderia existir uma relação direta entre a chegada desta nova estação, e o aumento dos casos de insónias. Trata-se de um transtorno que também pode acontecer na primavera, e que pode durar, desde umas semanas, até alguns meses.

A relação entre o outono e os casos de insónias

Tal como explica o doutor Diego García Borreguero, diretor do Instituto de Investigações do Sono (IIS), “a diminuição das horas de luz, e as alterações no ritmo de vida que se produzem com a chegada do outono, podem provocar alterações no relógio circadiano, dando lugar ao aparecimento das insónias”.

De fato, parece que, segundo explica a comunidade científica, uns 8 a 10 por cento da população sofre de insónia crónica, que dura aproximadamente uns 6 meses, sendo que uns 30 a 40 por cento da população sofre de insónia transitória.

Parece, pois, que os cientistas já prestaram atenção à relação entre a chegada do outono, e o aumento dos casos de insónias. Mas, por que sucede?

Por que se produz?

Agora sabemos que, tal como certificou a comunidade científica, a chegada do outono traz consigo um aumento de casos de insónias. Mas, por que acontece isto? Parece que poderiam existir várias razões, para que o outono interrompa o nosso descanso:

  • Alterações no ritmo de vida.
  • Diminuição das horas de luz.
  • Alterações no ritmo circadiano.

Mas, ao que parece, o outono não só pode afetar o nosso descanso, como também poderia ter um efeito negativo sobre a nossa vitalidade. Em concreto, pode dar-se um transtorno que se denomina astenia outonal.

A relação entre o outono e os casos de insónias

A astenia outonal

Ainda que não tenha justificação, a insónia que costuma aparecer com a chegada do outono pode trazer consigo a astenia outonal. Trata-se de uma sensação de debilidade e cansaço persistentes, que afetam o rendimento diário. Regra geral, quem sofre com este problema tem tendência a sentir cansaço, fadiga, e incluso debilidade psíquica e física, afetando principalmente pessoas entre os 20 e os 50 anos.

Costuma acontecer mais em mulheres, tal como sucede com as insónias. No entanto, o certo é que todos podemos ser afetados por esta alteração no nosso ritmo diário. Ao que parece, aqui teria um papel determinante a melatonina, uma hormona que regula o sono, a temperatura do corpo, e a fome.

Ao diminuírem as horas de luz, a produção de melatonina aumenta, o que pode provocar um aumento na sonolência. Este transtorno pode trazer consigo:

  • Irritabilidade.
  • Apatia.
  • Sonolência.
  • Dificuldade para se concentrar.
  • Estado de ânimo baixo.
  • Cansaço.
  • Debilidade generalizada.

Outros sintomas, como a diminuição da libido, uma diminuição das defesas no organismo, ou a falta de apetite, também são comuns com estes transtornos. Em qualquer caso, os sintomas dependem de cada pessoa, e não são exclusivos da mudança de estação.

O que parece claro é que o nosso corpo e os nossos ritmos habituais se veem alterados com o outono. Mas, podemos combater esta sintomatologia? Para começar, se nos afeta de forma notável no nosso dia a dia, o melhor será consultar com um médico. Mas, podemos tomar alguma medida para evitar esta insónia, antes de que chegue o outono?

Medidas para escapar às insónias

Existem algumas medidas que podem servir de ajuda, para evitar que as insónias apareçam no outono. Estas podem ser algumas delas:

Expor-se ao sol

Com a mudança da hora, os nossos ritmos também se veem afetados, devido à diminuição da luz solar. Por isso, se passa pouco tempo no exterior, recomendamos-lhe que trate de se expor ao sol uns minutos ao dia.

Fazer exercício de maneira regular

Trata-se de um dos conselhos que mais nos repete a comunidade científica, já que esta prática pode ajudar a restabelecer os nossos ritmos circadianos.

Uma alimentação saudável e variada

Uma alimentação equilibrada pode ser uma das chaves para evitar que se produza um desajuste nos nossos ritmos diários.

Descansar o tempo suficiente

Dormir entre 7 a 8 horas é crucial para manter o nosso sono na linha.

Em qualquer caso, se sofre de insónias, e acredita que já leva várias semanas com esse problema, não hesite em consultar um médico, quiçá necessite de ajuda profissional. Ainda assim, trate de manter os seus hábitos saudáveis em dia!